terça-feira, 26 de abril de 2011

Como se fosse real


***********

Porque as vezes a gente precisa apenas se decepcionar para aprender, pra entender que aquilo [aquela pessoa] não é pro 'nosso bico'. Sabe o que é pior, a pessoa vem com um sorriso lindo e diz: 'Senti sua falta, por onde andou?'. Sabe porque gosto quando dizem que sentiram minha falta? porque sou carente. Sabe porque gosto quando VOCÊ diz que sentiu minha falta[mesmo sabendo que é por mera consideração e nada mais]? porque você realmente é especial pra mim e muda meu dia com apenas um sorriso.

Ja tentei te esquecer de diversas formas. Ja escrevi, não resolveu. Ja tentei gostar de outro alguém, não resolveu. Ja tentei me apegar em algum seriado, não consegui. Ja tentei escutar musica o tempo  livre que tenho, não consegui. Tudo me leva a você. Acho que a gente tem certeza que ama uma pessoa quando todos os momentos, lugares, gestos, expressões, musicas, pessoas e series nos levam a ela.

Não sou romântico [imagina se fosse], não curto a ideia de ficar bajulando uma pessoa e chamando-a de 'meu-amor' o dia todo. Sou individualista, ok, EXTREMAMENTE individualista. Mas o amor não é um sentimento exclusivo para pessoas 'doces, sociáveis e de bom coração', ele é exclusivo sim, exclusivo pra quem é vivo, pra quem busca algo bom nessa vida, acho que aí eu me encaixo, acho que aí eu te encaixo na minha vida. Não te prometo felicidade, te prometo meu coração. Por que quem disse que amor é só alegria? 

Você foi uma das melhores coisas que me aconteceram, e, mesmo assim, quero te esquecer, porque o problema não é você, o problema é no que eu te transformei.

Escrevi esse texto enquanto ouvia essa musica [clique AQUI]
que encontrei no blog da Elenita.

Marcelo Soares

sábado, 23 de abril de 2011

...


...

Sempre admirei pessoas com autoestima alta para mudar, mudar o cabelo, as roupas, a vida. Sou do tipo de pessoa que não sabe, e nunca teve, autoestima alta, esses dias até brinquei com uma amiga dizendo que 'ter autoestima alta' é mito.

Vamos as coisas básicas da vida: nunca mudei o corte de cabelo, desde que me conheço por gente tenho o cabelo assim, um pouco mais curto, mais longo, mas sempre o mesmo corte. Quando passei no vestibular e rasparam minha cabeça, planejei um penteado novo, porém, o tempo desse 'planejamento' foi tão grande, que quando dei por mim o cabelo ja estava como antes, e, por preguiça de mudar, não mudei.

Gosto de pessoas com autoestima alto pelo simples fato de elas terem o que sempre tive vontade de ter: Coragem. Coragem pra coisas simples, medias, complicadas. Coragem pra erguer a cabeça e não deixarem-se intimidar por segundos, terceiros... Sou fraco, evito em deparar-me com decisões de coisas simples, medias, complicadas. Sempre acabo me deixando intimidar, em ambientes que sinto-me desconfortável, por segundos, terceiros... Mas, contrapondo tudo isso, sou sincero, sincero ao extremo, sincero do tipo que perde o amigo, mas, quando questionado, não fala só o que a pessoa quer ouvir, fala a verdade.

Sofro com isso, sofro com o querer e não fazer por falta de coragem. Ha quem diga que o 'querer' já é o primeiro passo para o 'fazer', se a lógica for essa mesmo, já dei o primeiro passo em muitas coisas na vida. Não ter autoestima alta, não significa que você deva aceitar coisas que não quer e fazer o que não lhe convém, ser submisso é bem diferente de baixa autoestima, coisa que não sou, e, em poucas situações aceito ser.

Podem até me criticar pela falta de coragem, ja até me chamaram de `cu doce` pelo excesso de indecisão. Aprendi que a minha vida, opinião e felicidade vem em primeiro lugar, e acredito, friamente, que isso seja um progresso para um cara com baixa autoestima, a vida, opinião e felicidade alheia vem em segundo, terceiro, quarto lugar, e ainda se interessar, se a pessoa valer a pena.

A gente devia se preocupar em ser feliz antes de se preocupar com o que vão, ou não, achar. Opinião alheia é sempre a segunda opção. Se sou feliz assim, não devo reclamar, devo lutar para evoluir.

"Caros seguidores, não seguidores e afins, passei essa semana na casa da minha irmã, por isso não postei antes. Tudo aqui é muito intenso, duas crianças em casa muda e faz bagunça nos planos da gente, não reclamo, adoro passar uns dias aqui. O texto esta confuso e sem uma 'conclusão', mas é o que tem pra hoje ~risos~ entendam."


Marcelo Soares

domingo, 17 de abril de 2011

[re]VIVER


.....

É como viajar olhando pelo retrovisor, vendo o que passou. É como pegar álbuns antigos e, de alguma forma, reviver aqueles momento e ater-se a eles, como se o presente não existisse e o futuro não fosse tão promissor. 

Aí você lembra que o kinderovo não custa mais 1real, que não encontrara mais garrafinhas de guarana antartica com pokebola e pokemons miniatura colecionáveis dentro, que dragonball e cavaleiros do zodíaco não passam mais nas tardes da band, que ja assistiu dezenas de vezes todos os episódios de chaves e, mesmo assim, não cansa de ve-los. 

Então você observa que as pessoas e as coisas a sua volta mudaram, seus gostos mudaram, você não entra mais naquele all star nem naquela camiseta que adorava usar porque te favorecia, aqueles brinquedos legais agora são apenas brinquedos numa-caixa-qualquer, aquelas musicas nem são tão legais quanto aparentavam ser, aqueles sentimentos amadureceram.... e assim vai.... o tempo passando...passando ....passando. 

A vida correndo e as pessoas mudando. Talvez o vilão nessa história seja o relógio, ele não perdoa, você revive o passado, perde o presente e deixa de planejar o futuro e, mesmo assim, ele fica la, no tic-tac ininterrupto . 

E a lição pra tudo isso é: VIVA, viver não só só ligar-se as coisas que quer fazer agora, ou aquelas que planeja fazer no futuro, viver também é lembrar que, algum dia, você também foi feliz de alguma forma e que isso marcou, e mudou, sua vida. 

Por isso meus caros amigos, VIVAMOS. Vivamos o ontem, o hoje e o amanhã, porém, não nos atenhamos tanto a-um-ou-a-outro, apenas VIVA. Termino esse texto com as palavras de Max Lucado:
Eis minhas palavras de saudação para uma vida longa: Bondade que sobreviva a sepultura, amor que sobreviva ao suspiro final.Que você viva de maneira tal que sua morte seja apenas o começo da sua vida.

Bom domingo a todos.


Marcelo Soares 

sexta-feira, 15 de abril de 2011

I'm back



Sentei na cama com o notebook no colo e a vontade de ter onde desabafar apareceu, lembrei do blog e das pessoas que passavam por aqui , então, me veio a vontade de quebrar as promessas de: 'não vou voltar com o blog, dessa vez é definitivo' 'se é pra ficar parado, sem atualizações, que exclua de uma vez'

Comecei a ler um texto, de uma escritora que gosto, que fala de pessoas que deixam as coisas escorrerem pelos dedos como se não estivessem perdendo nada, e estão, então a vontade aumentou. Falei no twitter e no facebook sobre a possível 'volta' do blog e algumas pessoas incentivaram-me a voltar. Resolvi recorrer a sinceridade de uma amiga, que me deu apoio, tive a certeza que deveria voltar, e voltei. Se depois de tantas confirmações eu não voltasse, seria mais uma das grandes burrices que ja fiz.

Deixei o layout no mais simples, apaguei textos antigos que me faziam mal e que, por algum motivo, passei a não gostar ~Só não consegui tirar o 'você também podera gostar de:', se alguém souber como tirar, ajude-me~ Não quero mais a preocupação com um layout cheio de 'clique-nisso-clique-naquilo', pelo menos não agora. 

Voltei, novamente. Não sei por quanto tempo e nem sei se contar o tempo valha mesmo a pena, as vezes a gente fica muito preocupado contando o tempo e esquece de viver o agora. O que importa, pelo menos pra mim é que VOLTEI.

Tenho tanto pra contar, pra desabafar, pra opinar que tenho medo da empolgação aparecer e acabar escrevendo um texto enorme relatando tudo, mas não farei por dois motivos: tenho uma casa pra limpar e não quero cansar quem, talvez, ler.

Até