sábado, 23 de abril de 2011

...


...

Sempre admirei pessoas com autoestima alta para mudar, mudar o cabelo, as roupas, a vida. Sou do tipo de pessoa que não sabe, e nunca teve, autoestima alta, esses dias até brinquei com uma amiga dizendo que 'ter autoestima alta' é mito.

Vamos as coisas básicas da vida: nunca mudei o corte de cabelo, desde que me conheço por gente tenho o cabelo assim, um pouco mais curto, mais longo, mas sempre o mesmo corte. Quando passei no vestibular e rasparam minha cabeça, planejei um penteado novo, porém, o tempo desse 'planejamento' foi tão grande, que quando dei por mim o cabelo ja estava como antes, e, por preguiça de mudar, não mudei.

Gosto de pessoas com autoestima alto pelo simples fato de elas terem o que sempre tive vontade de ter: Coragem. Coragem pra coisas simples, medias, complicadas. Coragem pra erguer a cabeça e não deixarem-se intimidar por segundos, terceiros... Sou fraco, evito em deparar-me com decisões de coisas simples, medias, complicadas. Sempre acabo me deixando intimidar, em ambientes que sinto-me desconfortável, por segundos, terceiros... Mas, contrapondo tudo isso, sou sincero, sincero ao extremo, sincero do tipo que perde o amigo, mas, quando questionado, não fala só o que a pessoa quer ouvir, fala a verdade.

Sofro com isso, sofro com o querer e não fazer por falta de coragem. Ha quem diga que o 'querer' já é o primeiro passo para o 'fazer', se a lógica for essa mesmo, já dei o primeiro passo em muitas coisas na vida. Não ter autoestima alta, não significa que você deva aceitar coisas que não quer e fazer o que não lhe convém, ser submisso é bem diferente de baixa autoestima, coisa que não sou, e, em poucas situações aceito ser.

Podem até me criticar pela falta de coragem, ja até me chamaram de `cu doce` pelo excesso de indecisão. Aprendi que a minha vida, opinião e felicidade vem em primeiro lugar, e acredito, friamente, que isso seja um progresso para um cara com baixa autoestima, a vida, opinião e felicidade alheia vem em segundo, terceiro, quarto lugar, e ainda se interessar, se a pessoa valer a pena.

A gente devia se preocupar em ser feliz antes de se preocupar com o que vão, ou não, achar. Opinião alheia é sempre a segunda opção. Se sou feliz assim, não devo reclamar, devo lutar para evoluir.

"Caros seguidores, não seguidores e afins, passei essa semana na casa da minha irmã, por isso não postei antes. Tudo aqui é muito intenso, duas crianças em casa muda e faz bagunça nos planos da gente, não reclamo, adoro passar uns dias aqui. O texto esta confuso e sem uma 'conclusão', mas é o que tem pra hoje ~risos~ entendam."


Marcelo Soares

6 comentários:

  1. Ai ai Celo...
    Não tenho nada pra comentar, vc sabe... mas por consideração to aqui huehue...
    Eu só acho que querer não é o primeiro passa... querer não muda nada na vida da gnt... o primeiro passo é fazer, o segundo é ver o resultado ou sofrer as consequências hahaha.
    Mas como eu sou um segundo, ou vai saber, um terceiro... vc não vai me ouvir nem prestar atenção em nada do que eu disse mesmo... huahuahua

    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Assim me pediu pra escrever sobre mim Marcelo?
    heuehueheuehue me vejo ai nessas palavras, isso é bom (por ver que não sou doida sozinha), isso é ruim (por reconhecer que tenho baixa autoestima).. mas ótimo post!
    MUITOOO BOM MESMO!!!
    Bjãoooo

    @SpinelliFlavia

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito do seu blog, em especial esse post. Me identifiquei com o fato de não ser adepto a mudanças, também me falta muita coragem para mudar meus príncípios e até mesmo aspectos físicos, apesar de ser cobrada por isso constantemente.
    Estou te seguindo, beijão!

    ResponderExcluir
  4. e é engraçado como nossa auto estima é julgada pelos outros. Pro outros, não há motivo pra baixo auto estima. Mas só quem tem sabe...
    e é horrível. A falta de autoconfiança é desastrosa, pq nos impede até mesmo de sermos felizes e experimentarmos as delícias da vida. é invejável observar aqueles que levam a vida com sua auto estima lá em cima. mas parece que há um muro que me impede de ser igual a eles nesse aspecto... parece um obstáculo impossível de ser driblado.
    Mas assim vamos vivendo... um dia quem sabe conseguimos ser mais confiantes.
    òtimo post.

    ResponderExcluir
  5. autoestima é super-estimada XDD, brincadeiras a parte, autoestima vai além de se achar legal , envolve a aceitação de si mesmo, pessoas que mudam frequentemente, o visual, o curso ou namorado não são sinônimos de autoestima elevada, pelo contrário, frequentemente pessoas assim tem uma baixa autoestima e precisam sempre achar algo ou alguem novo para se auto-afirmarem perante a sociedade, não mudar o corte de cabelo pode ser apenas falta de vontade, eu não ti conheço pórem vc me parece se bem assertivo sobre o que afirmou no texto, talvez sua auto estima não seja tão baixa assim, eu gostoria de pintar meu cabelo de laranja só pra ver como fica, mas como é apenas curiosidade não vou correr o risco de estragar o meu cabelo, compro uma peruca que dá na mesma, agora quis cortar uma franja isso não vai estragar o meu cabelo no maximo fico com um corte ruim por dois meses e pronto é questão de custo benefico e não baixa autoestima.
    Gostei do teu blog vou acompanhar
    obs: cortei a franja e ficou legal ^_^

    ResponderExcluir
  6. Compartilho da tua sensação. O que eu mais faço é fingir, fingir que tudo está bem para não encarar as desolações que meus dias se tornaram!

    Abraços,

    Charlie B.

    ResponderExcluir