quinta-feira, 31 de maio de 2012

Novos ares, ares de esperança

Imagem via Tumblr
Incrível as voltas da vida. É só a gente mentalizar coisas boas, dar um tempo nos problemas e ter fé que tudo pode mudar. Esses dias escrevi esse texto AQUI, desanimado com os nãos do caminho. Terça-feira, estava péssimo, nada fazia sentido, um 'não' que eu tinha certeza que não aconteceria, ocorreu. Mas aí o dia acaba, vem outro com muitas expectativas a serem quebradas e desafios a serem vencidos. Ontem, quarta-feira, tracei novos planos, deixando para trás tudo o que queria, seguindo outro caminho, cansado de sofrer. Hoje, quinta-feira, tudo o que havia deixado para trás, retornou. Uma nova proposta, uma nova entrevista, uma nova expectativa. Peço a oração e torcida de todos por mim, porque o primeiro dia do resto da minha vida esta prestes a acontecer.

Se tudo der certo, semana que vem conto as novidades em definitivo, mas antes, acreditem juntamente comigo e tenham fé, por mim.


Para chegar ao outro lado é preciso acreditar!
Mas antes, a gente precisa crer!

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Volte logo

Imagem via Tumblr: Cuticula
Pensei que nunca teria que escrever algo para você desse jeito. Sabe, lembro quando você foi a unica que decifrou para quem escrevi isso, isso e isso, ou então como desmascarou a minha ultima grande paixão.

Lembro de como te considerava meu doce veneno, minha pequena fonte de inspiração, meu refugio nos dias de tristeza, minha caixa de sinceridade. Difícil falar das coisas, boas, que a gente lembra e que não acontecem mais.

Não sei onde errei com você, na verdade nem sei se cheguei a errar. Sempre admirei seu lado nada amigável, seca e suavemente grossa. Assim como amava quando você aparecia cheia de vida, com um sorriso no rosto, transformada. Delicadamente rabugenta, levemente amável. E eu atribuía tudo isso aos seus hormônios, identificava sua TPM a quarteirões.

Lembro dos desenhos que fiz de você, dos que me roubaram, das cartas que escrevi e não tive coragem de te entregar. Não acredito que nossa amizade tenha sido desgastada com o tempo. Não acredito que você tenha usado da sua frieza, que usava para espantar aquele chato, que era afim de você, comigo. Morri por dentro com isso.

Sabe amiga, lembra quando aquela pessoa partiu, sem dar explicação e me deixando POSSESSO porque eu a amava? Você, hoje, esta no papel dela.

Espero que um dia você volte, estarei aqui esperando. Não vou saber te dizer 'não' e muito menos jogar todo esse sentimento ruim a sua cara. Não farei nada disso, simplesmente porque sinto sua falta. Volte logo.

....
Quando vou ver você de novo?
Você partiu sem um adeus, nem uma única palavra foi dita
....
Quando foi a última vez que você pensou em mim?
Ou você me apagou completamente de suas memórias?
Porque muitas vezes eu penso onde eu errei.
E quanto mais eu penso, menos eu sei.
....
Quando vou ver você de novo?
 Trecho de ''Don't you remember - Adele

Caros leitores, ficaria extremamente feliz se vocês curtissem a pagina do blog no facebook, para isso, basta clicar em curtir ali na caixa na barra lateral ou então clicar AQUI, e curtir.
Eu e um grupo de colegas, fizemos um trabalho o qual apresentaremos para obtenção de nota de uma matéria na faculdade. Esse trabalho foi transformado em um banner, que apresentaremos na faculdade dia 5. Ontem ficamos surpresos, nosso trabalho foi publicado no blog de um engenheiro agrônomo. Fiquei feliz com o reconhecimento, caso alguém queira ler, clique AQUI, o trabalho tem o titulo: ''Tratamentos Complementares atuando na Medicina Veterinária; Aromaterapia e Medicina Tradicional Chinesa''.

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Nós, os semi-calvos

Foto do meu, constrangedor, arquivo pessoal
Esses dias estava conversando com a menina Amanda no twitter, coisa que gosto muito de fazer. Comentava com ela sobre a cobrança que tenho comigo mesmo diariamente. Tenho que ir a academia, chegar em casa, tomar o suplemento e repetir isso, pelo mesmo, 3 dias na semana. Ano passado fui ao médico e ele me encaminhou a uma nutricionista. Estava 15 quilos abaixo do peso ideal para minha altura. Resolvi então correr atrás do prejuízo, afinal das contas passei muitos anos não sabendo lidar com a magreza excessiva.

Esse ano o problema é outro, cheguei aos meus 23 anos e os cabelos começaram a cair. Isso é comum entre os homens, mas a maioria ABOMINA-MEU-DEUS-NÃO-ME-DEIXE-FICAR-CARECA. Enquanto a conversa rolava com a Amanda, comentei que daqui um ano estarei bem comigo mesmo, com meus 15 quilos ganhos e um pouco mais, terei tratado minha semi-calvice, terminado a faculdade, estarei trabalhando (todos dizem AMÉM) e tirado o aparelho. Foi então que ela disse: Para de história, é dos carecas que elas gostam mais.

Sempre que comento com alguém sobre o medo de ficar calvo, escuto essa mesma frase. Acho engraçado, pois quando passei no vestibular e fiquei careca, foi o que mais escutei e também o período em que menos opções amorosas me apareceram, e olha que aquela época estava a procura (rsrsrsrsrs). Voltando ao fato dos carecas, o que adiantaria elas gostarem do careca se o careca não gostar dele mesmo?

Tenho conhecidos que, aos 15 anos, descobriam-se carecas, rasparam o pouco cabelo que tinham e são felizes. Assim como conheço algumas pessoas que o tempo não perdoou e são infelizes, carecas. A gente só consegue se entregar a algo, e fazer esse algo bem, se estivermos bem com  gente mesmo. Careca ou não.

Por isso, mês que vem procurarei um dermatologista, além das espinhas, quero tratar minha semi-calvice. E que Deus me ajude. Se for para, um dia, ficar careca, que Ele me faça aceitar assim, se não for, que o o tempo pare de derrubar meus fios.

Sei que cabelo não é tudo na vida de uma pessoa e sei que ficar careca não é o fim do mundo, mas sabe, aquela insegurança desgraçadinha que aparece só em pensar em passar o pente no cabelo, não quero ela na minha vida.

Ps.1: Dos 15 quilos que precisava ganhar, ja ganhei 10. Com muita dedicação e da maneira correta.
Ps.2: Curtam a pagina do blog no facebook clicando AQUI, façam esse semi-calvo feliz =D

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Sobre sacrifícios e decepções

Imagem via Tumblr: Cuticula
Na lama com a Amy ALI

Ando precisando de uma injeção de animo, direto na veia. Coisa urgente.

Funcionou mais ou menos assim: a gente passa quase 5 anos fazendo a mesma coisa, visando algo melhor. Não ligando para o tamanho do desgaste físico, psicológico e financeiro. E como houve desgaste. A gente aprende a conviver com uma expectativa ENORME que um grupo de pessoas coloca em cima da gente, a expectativa é tão grande, mas tão GRANDE, que precisaria de, pelo menos, 5 eus para suporta-la. Mas quando a gente quer MUITO uma coisa, a gente suporta de tudo, aguentei. Visando o querer, a gente traça caminhos para evitar aquilo que não queremos (dã). Aí chego ao segundo ponto: um ano de MUITA expectativa, de muitos e-mails, telefonemas, conversas presenciais, entrevistas, seleções, seleções, seleções e DEZENAS de outras seleções. Cada não, a cada ''ano que vem a gente entra em contato'', uma motivação a mais para continuar a luta. Mas quer saber, a gente se desgasta. Não ha planos que aguentem tanta negação, tanta pressão e tanta gente achando isso e deixando de achar aquilo. Mas sabe, a gente continua sendo forte, ou pelo menos tentando ser. Até se decepcionar, guardar um pouco de rancor e resolver optar pelo mais fácil, pelo momentâneo, colocando na cabeça que a gente não esta deixando de sonhar, o sonho foi apenas adiado mais uns meses. Até escutar de alguém: ''você tem que deixar de ser orgulhoso, que decepção''. POXA, então tudo o que a gente batalhou, deu o sangue que tinha e o que não tinha só serviu para um ''deixa de ser orgulhoso''? Cansei, mas ainda aceitaria a injeção, para tentar continuar tentando.

As vezes o tamanho do sonho suporta qualquer sacrifício. Mas não ha sonho que resista a decepções seguidas de quem tanto confiou algo a gente.

Hoje precisava ser controverso, precisava desabafar, precisava sentir que aqui dentro ainda tem um eu que suplica por um pouco mais de paciência, animo, esperança e, principalmente, força. Porque esses sacrifícios e essas decepções, hoje, são eu.

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Meme: Coisas que todo mundo gosta, menos eu

Estava ali andando no blog do Jefferson, e me deparei com um post de semanas atrás, que comentei inclusive, de um meme. Resolvi também faze-lo. Como listar coisas sempre foi uma das minhas habilidades sazonais, vamos nos divertir (ou não) um pouco nesse dia chuvoso, frio e tedioso. 

BALADA
Imagem via Tumblr
Não gosto da ideia de muita gente em um pequeno espaço. Talvez eu seja meio claustrofóbico. Não gosto de estranhos me tocando, empurrando. Não gosto de gente excessivamente feliz, que da risada alto. Não gosto de ambientes escuros, com aquelas luzes que vieram diretamente do inferno para me atormentar. Não gosto de bebedeira, de gente bêbada.

MUSICA ELETRÔNICA
Imagem via Tumblr
Não, não gosto do tush-tush, não gosto daquelas introduções enormes, daqueles intervalos GI-GAN-TES-COS entre uma estrofe e outra, isso quando a musica tem letra. Não gosto daqueles gritos prolongados, das repetições chatas. Musica eletrônica é a versão contraria de tudo que aprecio em uma musica,

FUTEBOL
Imagem via Google
Esses dias, ao acaso, puxei assunto com um colega sobre futebol, comecei a citar alguns dos principais jogadores do time amado por ele, surpreso disse que achava que eu não sabia nada de futebol. Não gosto de assistir futebol, sinceramente: não tenho paciência de ficar 90, noventa, N O V E N T A, minutos vendo 22 pessoas fazerem a mesma coisa. Repetidamente. Prefiro dormir, comer, ler um bom livro. Depois tem um resumão de tudo em todos os cantos, desde os comentários na rua/aula/trabalho até todos os cantos dos confins da internet. 

DIRIGIR
Imagem: Do meu (constrangedor) arquivo pessoal, raridade.

Sabendo que era uma coisa essencial, resolvi aprender a dirigir anos atrás, de início, adorei. Quando entrei na autoescola, fiz todos os testes teóricos, passei de primeira. Fui para as aulas praticas, aí realmente vi como o transito é violento. E se tem uma coisa que não consigo lidar é com gente sem paciência, buzinando, gritando, xingando e me dizendo para onde ir. Peguei um trauma e passei a odiar a direção. Tenho a carteira de habilitação a 3 anos, nesse período se dirigi 3 ou 4 vezes, foi muito. Mas isso não quer dizer que eu não o saiba fazer rsrsrsrsrsrsrs.

Vou encerrar a lista por aqui, senão passaria a noite toda escrevendo #sou #desses

terça-feira, 8 de maio de 2012

Sobre o amor

Imagem via tumblr
E eu havia de concordar com algumas pessoas no twitter: filme de criança na Tela Quente, não combina. E hoje, passou ''Pequenos Invasores'', aí a gente tem a certeza que tem como piorar uma segunda-feira.

A novela terminou e a televisão ficou ligada, não me dei o trabalho de mudar de canal. Afinal o controle remoto quebrou e levantar, para mudar o canal, estava fora de cogitação. O filme começou, mas, estava tão entretido, lendo algumas coisas na internet e respondendo alguns e-mails, que nem prestei atenção. Quando de repente, durante um almoço em família enquanto o pai estava fritando hambúrguer, escuto a seguinte frase :

Pai:
- Desculpe querida, quer queijo no seu hambúrguer?
Filha:
- NÃO, QUERO DESCOBRIR QUEM INVENTOU O AMOR E DESOSSA-LO!

Comecei a prestar atenção no filme (sou desses rsrsrsrsrs).

Mais tarde, durante uma luta com os alienígenas, a mesma personagem trouxe a seguinte pérola:

- NÃO FALA ISSO PRA UMA PESSOA QUE FOI REJEITADA!!

O inverso do amor é o ódio, certo? Mas quando a gente se decepciona, fica triste e perde as esperanças com quem amamos, porque passamos de um extremo para o outro em questão de segundos?

Acho, A C H O, que nunca estamos preparados para finais tristes. A gente cria uma ilusão tão linda em cima de alguém, e assim, em questão de segundos, tudo vira pó. E não é por falta de se policiar, o amor sempre torna a gente mais tonto. A gente pode decepcionar-se 1 milhão de vezes, mas o amor sempre vai mudar nosso jeito de agir, pensar, falar, se vestir e quando ele acaba (e se acaba, era mesmo amor?) a gente vai mudar tudo novamente, mas com um odiosinho rancoroso no coração.

Precisava dividir isso com vocês ouvindo isso AQUI.

domingo, 6 de maio de 2012

As vezes, a solidão nos faz bem

Imagem via tumblr

Sabe aqueles encontros que a vida proporciona para gente? Não aqueles com pessoas. As vezes, a gente se depara com uma musica, que desperta um sentimento, que nos leva a uma pessoa, que sempre nos conduz a uma vontade e, geralmente, essa vontade é a de tomar uma atitude, que quase nunca tomamos. Ja reparou que as vezes a gente sente uma brisa diferente, um frio na espinha, um arrepio e nos encontramos com um sentimento novo? Então, é desses tipos de encontros que me refiro.

Porque a vida nos proporciona muito mais que prazeres sociais, muito mais que encontros casuais com amigos, muito mais que apertos de mão e abraços, muito mais que risadas em grupo, conversas compartilhas e experiências divididas. Para estar bem com a família, amigos, no local de trabalho, a gente precisa estar bem com a gente mesmo. E nada melhor para ficar bem no intimo, do que permitir que a vida nos presenteie com aqueles pequenos encontros. As vezes, a gente aprende muito mais no âmbito do nosso quarto, na solidão de um almoço, na sensação de uma cama vazia do que dividindo esses momentos e ambientes com outra(s) pessoa(s).

As vezes, a solidão nos faz bem.

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Imagem via Tumblr

Trilha sonora, repetidamente AQUI
Sabe que eu tinha escrito um texto enorme, cheio de pensamentos e desabafos. Cheio das lições que recebi (da vida) nas ultimas semanas. Contando detalhes de como sofri na semana de provas, de como aumentei minha fé assistindo ''Desafiando gigantes'', de como aquela musica, que tomei conhecimento sábado retrasado, mudou meu jeito de pensar e ver o mundo. Mas nada disso, nenhum desses detalhes revelam o que realmente sinto agora.

Queria passar por aqui para dizer que estou vivendo debaixo de uma fé que nunca tive antes, acima de tudo a confiança que ando depositando em mim, mas sabe aquele tipo de confiança com um pé no chão e o outro na realidade? Aquela que mesmo nada dando certo, a gente ja estava preparado pra isso? Então. (Essa teoria não serve para todas as áreas da minha vida rsrsrsss). Por mais que eu não saiba se isso é confiança ou algo que inventei para me auto-proteger, ao menos me parece uma coisa boa. E é de coisa boa que devemos encher nossa vida. Afinal, nascemos para uma vida feliz, cada um a sua maneira.

Porque se a gente aceita a derrota, é derrota que teremos.