segunda-feira, 14 de maio de 2012

Sobre sacrifícios e decepções

Imagem via Tumblr: Cuticula
Na lama com a Amy ALI

Ando precisando de uma injeção de animo, direto na veia. Coisa urgente.

Funcionou mais ou menos assim: a gente passa quase 5 anos fazendo a mesma coisa, visando algo melhor. Não ligando para o tamanho do desgaste físico, psicológico e financeiro. E como houve desgaste. A gente aprende a conviver com uma expectativa ENORME que um grupo de pessoas coloca em cima da gente, a expectativa é tão grande, mas tão GRANDE, que precisaria de, pelo menos, 5 eus para suporta-la. Mas quando a gente quer MUITO uma coisa, a gente suporta de tudo, aguentei. Visando o querer, a gente traça caminhos para evitar aquilo que não queremos (dã). Aí chego ao segundo ponto: um ano de MUITA expectativa, de muitos e-mails, telefonemas, conversas presenciais, entrevistas, seleções, seleções, seleções e DEZENAS de outras seleções. Cada não, a cada ''ano que vem a gente entra em contato'', uma motivação a mais para continuar a luta. Mas quer saber, a gente se desgasta. Não ha planos que aguentem tanta negação, tanta pressão e tanta gente achando isso e deixando de achar aquilo. Mas sabe, a gente continua sendo forte, ou pelo menos tentando ser. Até se decepcionar, guardar um pouco de rancor e resolver optar pelo mais fácil, pelo momentâneo, colocando na cabeça que a gente não esta deixando de sonhar, o sonho foi apenas adiado mais uns meses. Até escutar de alguém: ''você tem que deixar de ser orgulhoso, que decepção''. POXA, então tudo o que a gente batalhou, deu o sangue que tinha e o que não tinha só serviu para um ''deixa de ser orgulhoso''? Cansei, mas ainda aceitaria a injeção, para tentar continuar tentando.

As vezes o tamanho do sonho suporta qualquer sacrifício. Mas não ha sonho que resista a decepções seguidas de quem tanto confiou algo a gente.

Hoje precisava ser controverso, precisava desabafar, precisava sentir que aqui dentro ainda tem um eu que suplica por um pouco mais de paciência, animo, esperança e, principalmente, força. Porque esses sacrifícios e essas decepções, hoje, são eu.

5 comentários:

  1. Gostei. Apesar dos pesares, só gostei. Acho que é tanta expectativa ao longo dos anos, que a gente acaba caindo do 30º andar sem nada para aparar a queda. Ando assim. E se achar a tal injeção, favor enviar uma para mim, ando precisada.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Todos nós precisamos de uma injeção assim, para nos animar diante das dificuldades da vida.

    Quando temos um sonho, um ideal,não podemos desistir jamais.

    Beijos, seguindo, teu blog é muito bom mesmo.

    http://luzia-medeiros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. É mal de todo fim de faculdade a insegurança e esse rio de incertezas. A vida como a conhece está prestes a acabar e nada será como agora. Os abalos de seu mundo ainda vão perdurar um tempo no pós-faculdade, mas não sei quanto, ainda estou no lapso tentando achar-me.

    Charlie.

    ResponderExcluir
  4. Justamente isso. O problema não são as pessoas ou as coisas. São as expectativas que colocamos nelas e, por um motivo ou outro, não são atendidas. Talvez, baixas expectativas e muita mobilização e motivação, sejam o segredo da felicidade.

    ResponderExcluir
  5. Olá Marcelo !!

    Muito emocionante a sua postagem, creio que muitos de nós vão se identificar com seus relatos e sentimentos, eu particularmente me identifiquei bastante :)
    Em várias fases de nossas vidas passamos por isso, as expectativas, as dificuldades, os sacrifícios, e em certos momentos vem o desânimo, pois é duro percebermos que nossos esforços parecem ser em vão...
    Mas te digo por experiência própria, desabafe, chore, sinta a dor, mas se recomponha e volte a lutar, nunca desista ! Eu desisti a muitos anos atrás de um projeto e hoje em dia me arrependo amargamente, e devido a alguns aspectos, não posso nem retomá-lo...
    Muita força pra você ! Tudo de bom !!

    Grande abraço :)

    ResponderExcluir