segunda-feira, 28 de maio de 2012

Volte logo

Imagem via Tumblr: Cuticula
Pensei que nunca teria que escrever algo para você desse jeito. Sabe, lembro quando você foi a unica que decifrou para quem escrevi isso, isso e isso, ou então como desmascarou a minha ultima grande paixão.

Lembro de como te considerava meu doce veneno, minha pequena fonte de inspiração, meu refugio nos dias de tristeza, minha caixa de sinceridade. Difícil falar das coisas, boas, que a gente lembra e que não acontecem mais.

Não sei onde errei com você, na verdade nem sei se cheguei a errar. Sempre admirei seu lado nada amigável, seca e suavemente grossa. Assim como amava quando você aparecia cheia de vida, com um sorriso no rosto, transformada. Delicadamente rabugenta, levemente amável. E eu atribuía tudo isso aos seus hormônios, identificava sua TPM a quarteirões.

Lembro dos desenhos que fiz de você, dos que me roubaram, das cartas que escrevi e não tive coragem de te entregar. Não acredito que nossa amizade tenha sido desgastada com o tempo. Não acredito que você tenha usado da sua frieza, que usava para espantar aquele chato, que era afim de você, comigo. Morri por dentro com isso.

Sabe amiga, lembra quando aquela pessoa partiu, sem dar explicação e me deixando POSSESSO porque eu a amava? Você, hoje, esta no papel dela.

Espero que um dia você volte, estarei aqui esperando. Não vou saber te dizer 'não' e muito menos jogar todo esse sentimento ruim a sua cara. Não farei nada disso, simplesmente porque sinto sua falta. Volte logo.

....
Quando vou ver você de novo?
Você partiu sem um adeus, nem uma única palavra foi dita
....
Quando foi a última vez que você pensou em mim?
Ou você me apagou completamente de suas memórias?
Porque muitas vezes eu penso onde eu errei.
E quanto mais eu penso, menos eu sei.
....
Quando vou ver você de novo?
 Trecho de ''Don't you remember - Adele

Caros leitores, ficaria extremamente feliz se vocês curtissem a pagina do blog no facebook, para isso, basta clicar em curtir ali na caixa na barra lateral ou então clicar AQUI, e curtir.
Eu e um grupo de colegas, fizemos um trabalho o qual apresentaremos para obtenção de nota de uma matéria na faculdade. Esse trabalho foi transformado em um banner, que apresentaremos na faculdade dia 5. Ontem ficamos surpresos, nosso trabalho foi publicado no blog de um engenheiro agrônomo. Fiquei feliz com o reconhecimento, caso alguém queira ler, clique AQUI, o trabalho tem o titulo: ''Tratamentos Complementares atuando na Medicina Veterinária; Aromaterapia e Medicina Tradicional Chinesa''.

6 comentários:

  1. Adorei o texto...
    Fazia tempo que não passava por aqui... :)

    ResponderExcluir
  2. Ótimo texto Marcelo. Estou passando por uma situação parecida, e sei o quanto difícil é ver um grande amor indo embora. Essas são coisas do coração, e como dizem, ruim com ele, pior sem.
    Sei que não ajuda muito, mas espero que você fique bem logo, que essa situação se resolva e blábláblá...
    Beijos, até breve
    http://daquioitentaanos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Poxa vida menino Marcelo, perder alguém ou alguma coisa importante é umas das coisas que eu NUNCA me acostumarei..
    A sensação que temos de não poder mais ver esta pessoa, não poder mais conversar com esta pessoa ou mesmo, trocar experiências, é dolorosa.. Acho que por isso não curto despedidas..
    Gosto mesmo é de fazer amigos, mesmo que entre um contato e outro dure um eternidade.
    Na minha opinião amizade não acaba, a não ser em caso especiais.. Amizade é luz, é brilho..

    ResponderExcluir
  4. Sentimentos. São tão complicados quanto comer cachorro quente sem se melecar.

    ResponderExcluir
  5. E o que te dizer se eu sei exatamente o que é e como é essa sensação? Que é aquele tipo de coisa que não se explica e, muito menos, se justifica. Que, talvez, a gente não tenha errado em nada e, se erramos, foi apenas em ter criado expectativas, em ter acreditado que aquela pessoa era diferente e que faria tudo por nós. Quando, na verdade, foi algo criado por nós.

    Ou, por outro angulo, essa pessoa talvez tivesse que ir mesmo, sem que pudesse se explicar... ou, ainda, foi embora, justamente, pra sabermos a falta que ela nos faz...

    A verdade talvez nunca saibamos. Só quando esse alguém voltar, SE voltar.

    Compartilho da tua dor =~

    ResponderExcluir