terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Sobre ''Os Miseráveis'', Anne Hathaway e o Oscar 2013

Segunda-feira passada fui a Londrina e (como bom pobre que vai a cidade grande, fiz o combo shopping + McDonalds + cinema) assisti ''Os Miseráveis''. Já tinha assistido ao trailer, já tinha lido criticas  e sabia que ele era indicado ao Oscar em algumas categorias. Mas uma coisa em especial me fez querer TANTO assisti-lo: Anne Hathaway. Acho a Anne a coisa mais linda desse mundo desde ''O diário da princesa'' e sonhava com o dia que veria ela recebendo uma estatueta do Oscar.

Imagem via Tumblr
Fiquei com um pé atrás antes do filme começar por ser um musical, mas o amor pela Anne era maior que isso. Se você ainda não assistiu e quer assistir, tenha em mente 3 coisas:
1 - Você precisara de paciência;
2 - Não poderá assistir o filme cansado ou com sono;
3 - Tenha algo pra comer em mãos, o filme tem mais de duas horas.

Segue abaixo a sinopse do filme que retirei do Adoro Cinema:
Adaptação de musical da Broadway, que por sua vez foi inspirado em clássica obra do escritor Victor Hugo. A história se passa em plena Revolução Francesa do século XIX. Jean Valjean (Hugh Jackman) rouba um pão para alimentar a irmã mais nova e acaba sendo preso por isso. Solto tempos depois, ele tentará recomeçar sua vida e se redimir. Ao mesmo tempo em que tenta fugir da perseguição do inspetor Javert (Russell Crowe).

Gostei de quase tudo relacionado ao filme, achei o elenco bem preparado, as musicas bem adaptadas, as personagens bem caracterizadas e os efeitos visuais incríveis. Como sempre, me apego muito a determinados personagens, que nem sempre são os protagonistas, e listarei meus favoritos (cuidado, spoiler a vista).

Fantine (Anne Hathaway)

Não tenho ela como preferida apenas pelo fato de ser interpretada pena Anne (mentira, tenho sim), mas o pouco que aparece, ao longo das horas do filme, ganha meu coração com A MELHOR CENA DO FILME. Ela tem que trabalhar para sustentar sua filha, é demitida e se vê sem opções a não ser apelar para conseguir dinheiro. Primeiro vende os cabelos, depois alguns dentes e por fim, o corpo. Após isso, toda machucada, suja e vulnerável, interpreta ''I Dreamed a Dream'' (aquela que a Susan Boyle cantou e ficou famosa) e mostra toda sua sensibilidade e passa uma emoção enorme a quem assiste. Veja a cena no vídeo abaixo:

Anne Hathaway(Fantine)- I Dreamed a Dream -Les Miserables from ADVISOR on Vimeo.

Gavroche (Daniel Huttlestone) 

Ele ganhou espaço no meu coração pela coragem e, para uma criança, mostrou-se mais corajoso que todo um grupo de jovens revolucionários (preguiça deles), morre enfrentando, sem temor, os soldados. Pelo pouco que fez, acabou se destacando mais que alguns personagens que apareceram o filme todo. A cena da morte dele foi uma das mais fortes, pelo menos para mim, do filme. #TeamGavroche

Éponine (Samantha Barks)
Ela é esperta, bonita e inteligente. Mas o que me fez torcer para ela ficar com o mocinho (mesmo sabendo o desfecho final da história) foi como ela o ama, escondido, sofrendo e ainda tenta ajudar para ele ficar com a mocinha (sem graça, pelo menos no filme). Rolou aquilo de autoidentificação, uma coisa que todo amante platônico sentiu um dia. E claro, a cena final, quando ela pula na frente dele, salvando-o, foi triste, porém, mostra quão forte e inocente (pelo menos no amor) ela era. #TeamÉponine

Jean Valjean (Hugh Jackman)

Hugh aparece desfigurado no inicio do filme, com o tempo vai ganhando 'cara' e voltando ao normal. A melhor cena dele é logo no inicio do filme, quando passa por uma crise existencial, dentro de uma igreja. Não rolou uma autoidentificação com o personagem, mas ele mostrou que nem só de Wolverine ou personagens de ação vive um ator.

Sobre o Oscar, para mim os momentos mais esperados eram Adele interpretando ''Skyfall'' e o elenco de ''Os Miseráveis'' se apresentando, e acabei sendo surpreendido com Jennifer Hudson cantando ''And I am Telling You''.

Elenco de ''Os Miseráveis''. Imagem editada por: euzinho #tecnologias

A apresentação da Adele acabou sendo, como disse a Flavia, meio blasse(?). Ela pareceu meio desconfortável com a situação, mas isso não tirou seus méritos vocais. 

Adele indo embora feliz
Adele acabou levando o premio de melhor canção original e Anne como Atriz Coadjuvante. Isso foi o suficiente, não torcia para ''Os Miseráveis'' ganhar como melhor filme, ainda não tinha assistido os outros para ter no que me basear. Na verdade, me importava apenas com essas duas categorias, do resto, assisti pelo show #sou #desses.
Anne, sendo linda, posando com sua estatueta <3
E sobre o tombo da Jennifer Lawrence: se você estiver indo buscar um dos principais prêmios da noite, o de melhor atriz, pode cair, dar um triplo mortal twist carpado, ir sambando ou dançando ''Thriller'', não importa, o prêmio e o prestigio continuarão sendo seus.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

É hoje, minha formatura e minhas considerações

Imagem AQUI
Hoje é o dia que me fez, a cinco anos atrás, entrar na faculdade, escolher medicina veterinária e sonhar com um futuro promissor.

Hoje, acordei estudante e vou dormir médico veterinário.

As vezes a gente reclama da vida (exemplo: eu) e dias como esse e momentos como viverei hoje a noite, provam que tudo valeu a pena. Cada semana de prova de mau humor, cada ansiedade antes de apresentar trabalhos e de sair as notas, cada amigo conquistado durante esse tempo. A rotina de aula faz falta, mas agora minha rotina sera o desafio de vivenciar algo maior: a profissão.

Ando feliz com o hoje, com a incerteza do amanhã e com a segurança que, um dia, minha liberdade chegara.

Agradeço a todos que, de alguma forma acreditaram em mim, torceram por esse momento e estarão presente comigo, comemorando. As pessoas que se diziam ''amigas'' e que nesse momento não fizeram questão de comemorarem comigo: esquecerei (precisava dizer isso, me libertar).

E hoje, quando for receber meu canudo, é essa musica que escutarei e é nesse refrão que me emocionarei:

''Tudo vai dar certo.
Seja forte. ACREDITE.''

Ontem me disseram que hoje o dia seria meu, discordo. Hoje o dia é nosso, não seria eu se não dividisse isso com quem amo, se não comemorasse com a sinceridade das pessoas, preciso disso, dividir. Uma conquista nunca deve ser egoísta.

E que os próximos 5, 10, 20, 50 anos sejam de varias outras vitorias igual essa, estou preparado.

E pela ultima vez: 

'Tudo vai dar certo.
Seja forte. ACREDITE.''

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Sobre prioridades

Imagem via Tumblr
Só queria entender o porque das pessoas não aceitarem que as minhas prioridades não são as mesmas que as delas.

Desculpe se aos 24 anos ainda não penso em casamento, filhos, casa, carro e uma vida estável.

Desculpa se com essa idade, penso em continuar estudando, pensando numa pós, num mestrado e em seguir em frente até onde for possível. 

Não vem ao caso quando quero me relacionar com alguém ou se quero ou deixo de querer. Existem aquelas coisas muito pessoais na vida, que a gente deve decidir quando quer, quando não quer e quando devemos começar a planejar a ter: relacionamento é uma delas.

Aí, dias desses, me vieram com aquela frase: ''quem muito escolhe, sera escolhido''. Olha, se tivesse escolhendo, até aceitaria seu ''sarcasmo''. Porém, nesse exato momento da minha vida: nem escolho, nem planejo, apenas não quero. Ponto. Simples assim.

Não tente fazer do seu sofrimento, das suas prioridades e de todos os fatos que já te ocorreram, espelho para alguém. Porque a sua realidade é completamente diferente da realidade de qualquer outra pessoa. Acho que a felicidade está justamente no descomprometimento e na a liberdade em aprender da melhor forma, sozinho, praticando muito, errando. Se eu quiser me espelhar em alguém, a vida me dirá em quem ou me permitira escolher esse individuo, não preciso de alguém se oferecendo.

Pessoas que não respeitam a liberdade de outras: apenas não tenho paciência e não gasto meu tempo argumentando. Desculpa. 

Ps.: Usar-se como exemplo para tentar motivar alguma pessoa, é uma coisa. Tentar impor o seu exemplo e querer que a pessoa o siga, é outra completamente diferente.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Meu aniversário

Tumblr_mhrv2czrae1rd3ijgo1_400_large
Imagem via Victoria Folch

Com a televisão no volume minimo, com Jason Mraz cantando no fone de ouvido e com uma pagina em branco a minha frente na tela do computador: assim começo meu 24º aniversário.

A pagina em branco me fez pensar sobre o que não vivi, evitei viver ou escolhi não viver. Porque chega uma etapa da vida da gente que nos damos esse direito: de escolher o que nos faz mais feliz.

Esse meu aniversário tem algo especial, pena que nem sempre o especial é bom. Daqui oito dias colo grau como medico veterinário. Hoje me inscrevi para um processo seletivo de uma pós em uma área que jamais imaginei trabalhar, mas que, agora, me parece muito conveniente. Passei cinco aniversários consecutivos preocupado com o ano letivo, com as matérias que cursaria, com provas e trabalhos, mas esse não. Nesse minhas preocupações são mais complicadas, mais chatas, adultas. Me preocupo com um emprego que ainda não tenho e vivo com a insegurança de não saber quando terei. Me preocupo com o que estarei fazendo daqui um mês, quando todas as pós já terão começado. Convivo com a ansiedade e a insegurança me abraçando diariamente e a esperança passando la na esquina, me dando tchau.

Hoje, quando o relógio marcou meia noite, uma enorme janela se abriu a minha frente e nela enxerguei uma placa bem grande dizendo: BEM VINDO, EM DEFINITIVO, A VIDA ADULTA.

E olha, a vida adulta tem la suas complicações, mas quando a gente começa enxergar algo bom la na frente, a sensação de liberdade faz todo o esforço valer a pena. E que esse ''valer a pena'' apareça logo. Serio.

E se pudesse pedir um presente a vida, pediria a liberdade.

Feliz 24 anos para mim. Que a felicidade plena e as realizações concretas passem por mim e fiquem. Amém!