domingo, 10 de fevereiro de 2013

Sobre prioridades

Imagem via Tumblr
Só queria entender o porque das pessoas não aceitarem que as minhas prioridades não são as mesmas que as delas.

Desculpe se aos 24 anos ainda não penso em casamento, filhos, casa, carro e uma vida estável.

Desculpa se com essa idade, penso em continuar estudando, pensando numa pós, num mestrado e em seguir em frente até onde for possível. 

Não vem ao caso quando quero me relacionar com alguém ou se quero ou deixo de querer. Existem aquelas coisas muito pessoais na vida, que a gente deve decidir quando quer, quando não quer e quando devemos começar a planejar a ter: relacionamento é uma delas.

Aí, dias desses, me vieram com aquela frase: ''quem muito escolhe, sera escolhido''. Olha, se tivesse escolhendo, até aceitaria seu ''sarcasmo''. Porém, nesse exato momento da minha vida: nem escolho, nem planejo, apenas não quero. Ponto. Simples assim.

Não tente fazer do seu sofrimento, das suas prioridades e de todos os fatos que já te ocorreram, espelho para alguém. Porque a sua realidade é completamente diferente da realidade de qualquer outra pessoa. Acho que a felicidade está justamente no descomprometimento e na a liberdade em aprender da melhor forma, sozinho, praticando muito, errando. Se eu quiser me espelhar em alguém, a vida me dirá em quem ou me permitira escolher esse individuo, não preciso de alguém se oferecendo.

Pessoas que não respeitam a liberdade de outras: apenas não tenho paciência e não gasto meu tempo argumentando. Desculpa. 

Ps.: Usar-se como exemplo para tentar motivar alguma pessoa, é uma coisa. Tentar impor o seu exemplo e querer que a pessoa o siga, é outra completamente diferente.

6 comentários:

  1. só digo uma coisa: TE ENTENDO COMPLETAMENTE, serio, cada palavra sua!
    porque olha, eu fico fula da vida com esse tipo de gente (e é pior ainda quando é da própria família, você sabe de quem eu estou falando né?) elas simplesmente não sabem respeitar que os seus ideias são diferentes dos delas, se ela fez um tipo de escolha, por favor, não venha querer me obrigar a fazer o mesmo tipo, e o pior é ter que ficar tolerando os comentários desagradáveis e ainda ser educada, porque é meio que assim: a pessoa pode falar um monte de m@#$&% pra você mas se você fala um 'azinho' acima do tom de voz normal com ela, a criatura faz um drama como se você fosse um monstro!
    enfim AHUAUHAUHUA acho que deu pra entender né que eu também não suporto esse tipo de coisa HAHAHA
    *comentário gigante* :O

    beajs.

    ResponderExcluir
  2. Pri, sei bem do que e acho que sei de quem você se referiu.

    Mas isso é o tipo de coisas que a gente, infelizmente, aprende a conviver, ainda mais quando é da família =//

    Mas ó, um dia a gente acaba se tornando independente e não vamos mais ter que ouvir esse tipo de coisa, anota aí =D

    Beajs

    ResponderExcluir
  3. Concordo. Cada um sabe bem o que quer, o que vive. Não cabe a ninguém criticar o modo como encaramos determinadas coisas, em especial sobre o nosso futuro, seja profissional ou emocional. As pessoas, na desculpa de estarem preocupadas conosco acabam se impondo, querendo que aceitemos o que elas falam, sem respeitar a nossa posição, a nossa opinião.

    Acho válida receber um apoio, uma motivação, mas desde que seja descompromissada, sem querer impor, apenas com o intuito de realmente se fazer amigo. O verdadeiro não impõe, apenas sugestiona, porém respeitando nossas aspirações. Até porque não tem como saber o que pensamos sem que o assunto seja tocado.

    É como você falou. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. As pessoas precisamo focar mais em suas escolhas, em seus caminhos e parar de tentar fazer com que outros se espelhem em si. É isso ae meu camarada. Viva a sua vida. Tuas escolhas é o que te definem. E que elas veem no momento certo e/ou que você as busque quando achar melhor para você.

    Um grande abraço!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente com você, Alexandre =D Faço minha as suas palavras.

      Abraço

      Excluir
  4. Olá Marcelo, tudo bem? :) Amei seu texto!!! Apoiadíssimo!!

    São bem vindas conversas saudáveis, perguntas pertinentes, mas imposições, não. Acho uma falta de respeito e educação quem fica se metendo na vida alheia e não aceita e nem respeita as escolhas de cada um e até discriminam as pessoas porque decidem fazer algo diferente ou fora dos "padrões" que vemos por aí. Sei bem como é isso, juntei as escovas de dentes com 33 anos, e já era chamada de solteirona, etc mas eu nunca quis me casar, queria mesmo era curtir e curti minha solteirice até enjoar dela e depois o relacionamento aconteceu naturalmente.
    Mas aí veio mais uma bomba, eu e meu marido decidimos por opção não ter filhos, gostamos de nossa vida assim, com nossos horários, nossas baladas, viagens etc. Isso sim é motivo de quase nos lincharem quando respondemos as fatídicas perguntas : E aí, quando vão ter um bebê?
    kkk outro dia uma amiga quase me bateu quando eu respondi e ainda me disse que só é feliz quem tem filhos! Oras, mas o que ela sabe da felicidade alheia? Eu não sou ela, cada um é cada um, eu sou feliz assim :) Quando não for mais, escolho outra coisa :)
    Quando era mais nova, desanimei de um sonho por me importar demais com a opinião alheia e por ter receio de "ser diferente" e pode crer, é uma das coisas que mais me arrependo.
    Só você sabe sua hora, sua maneira de ser feliz, quem gosta mesmo de você, pode até dar uns pitacos ou fazer brincadeira, mas no final, vai te respeitar, entender e apoiar :)

    Adorei! Grande abraço!

    ResponderExcluir
  5. É louvável ainda ter pessoa como você. Minha primeira vez aqui no seu blog, parabéns!

    ResponderExcluir