segunda-feira, 25 de março de 2013

Considerações sobre o tempo

Imagem AQUI
Estava ali revivendo 2010. Foi o ano que fui morar sozinho. Foi o ano que estudei técnica cirúrgica e percebi que teria uma certa dificuldade com isso. Foi o ano que meu professor de melhoramento genético morreu. Foi o ano em que 3 professores que eu gostava muito pediram demissão e seguiram suas vidas em outras instituições. Resumindo: teve perdas, ganhos e muitas mudanças.

No final de 2010, coloquei na cabeça que estava muito magro e acabei marcando uma consulta para o inicio de 2011. Fiz 30 mil exames. No final de tudo, não deu nada. O médico me recomendou exercícios físicos e transferiu-me pra uma nutricionista.

Ela começou explicando-me que não adiantaria me passar uma dieta balanceada se eu não me dispusesse a fazer alguma atividade física. Entrou em alguns parâmetros mais técnicos e me explicou que tudo que a gente demora pra ganhar, não perdemos com facilidade. Exemplo, na natação, a gente demora pra ver mudanças, mas essas mudanças geralmente são definitivas, já na academia, podemos ganhar mais rápido, porem, se ficarmos parados, perderemos na mesma proporção.

Foi aí que parei pra pensar agora cedo, se quero tanto um emprego e se demoro muito para consegui-lo, é sinal que sera algo bom e definitivo. Se luto tanto fazendo pós, cursos de aperfeiçoamento e atualização, se corro para ajudar os colegas que já estão trabalhando, se passo o dia enviando currículos  é sinal que todo esse esforço e dedicação valerão a pena. Assim espero, amém.

Se tem algo que a gente tem que aprender a entender é o tempo. Mesmo cruel, ele sempre tem razão se a gente corre atrás das nossas prioridades.

Ps.1: Essa demora não esta sendo fácil. Mas as coisas começaram a se encaminhar, meu diploma chegou e poderei me inscrever no conselho de medicina veterinária.
Ps.2: Voltei para o tumblr, quem tiver me segue la clicando AQUI.

quinta-feira, 21 de março de 2013

Sobre a inspiração para escrever

Imagem via TUMBLR 
A gente vive uma desilusão amorosa ou um amor platônico e reclama. A gente consegue se livrar da desilusão e dar um fim ao romance platônico e a inspiração para escrever desaparece. 

Vida, vamos começar conciliar as coisas?

quinta-feira, 14 de março de 2013

Nome para gatos

Nael e Gi dormindo na posição preferida delas em dias de frio: tudo junto e misturado.
 Esses dias a tarde, liguei a televisão e vi que a novela 'O Profeta' esta sendo reprisada. Ela foi ao ar em 2006 e terminou em 2007, nesse ano, por volta de outubro/novembro, adotei minhas duas gatas (adotar é tudo de bom).Uma delas já tinha nome logo nos primeiros dias de convivência, Nael, em homenagem a uma amiga. A outra ficou um bom tempo sem nome. Não queria algo obvio (Mimi, Lili e etcs). 
Gi, minha insuficiente renal preferida.
Em 2004, resgatei um gatinho de uma tempestade de chuva com granizo, ele tinha poucos dias de vida e algum ser sem alma o deixou a chuva para morrer. Nessa época meu irmão trabalhava como cobrador de ônibus. Quando o gatinho se recuperou de todas as interperies que sofreu, meu irmão achou que ele se parecia com um colega de serviço, resumindo, o chamamos de Jorginho. Depois desse dia, decidi que todos meus animais teriam nome de gente.

Voltando ao final de 2007, comecei ficar preocupado porque a ''quase siames'' ainda não tinha nome. Uma bela noite, no especial de final de ano da Globo, o Video Show retro resolveu passar sobre os casais mais engraçados do ano e reprisaram algumas cenas de Tainha (Rodrigo Faro) e Gisele (Fernanda Rodrigues). Ele, um vendedor de peixes, apaixonado por ela, uma aspirante a patricinha. O que me chamou a atenção foi como ele a chamava: ''Gigele''. Pronto, a ''quase siames'' ja tinha um nome. Com o tempo a apelidamos, carinhosamente, de Gi.

Gi, dormindo e sendo tímida ao mesmo tempo
A Gi e a Nael me ensinaram a gostar, muito mais do que ja gostava, de gatos. Amo cachorros, eles amam incondicionalmente, mas gatos são fascinantes, a gente tem que conquista-los diariamente. Incrível como a personalidade deles varia, MUITO. Tenho exemplo disso em casa, a Gi é toda amorosa, carinhosa e problemática (em se tratando de saúde, é sofridinha) e a Nael é toda rabugenta, mal humorada e rancorosa.

Sobre como escolher o nome ideal para seu animal de estimação, é um processo lento e cheio de descobertas. Se você decidiu que terá um animal em casa, tenha certeza que isso mudara sua rotina e que ele dependera de você e do seu valioso tempo. Pensado nisso, POR FAVOR, ADOTE. Com o nome, não escolha ele antes de escolher o animal. Cada um tem cara de alguma coisa. Cada um demonstra, com a convivência, que merece ser chamado por algo carinhoso.

Você pode pensar nas seguintes possibilidades:

  • Homenagear um amigo, parente ou colega de serviço: Exemplo: minha Nael e o Jorginho.
  • Homenagear um personagem fictício que você goste/se identifique/o animal se pareça: Exemplo: a minha Gi, tinha uma cachorra que chamava Meg, por causa dos Simpsons.
  • Por causa de uma personalidade que você admire: minha cunhada, ano retrasado, adotou um casal de gatos, o machinho recebeu nome de Aristóteles, carinhosamente apelidado de Ari, meses atrás ela ganhou um casal de porquinho da índia e a fêmea se chamava Beyoncé.
  • Por causa de alguma característica que o animal apresente: Tenho uma amiga que adotou uma cadelinha, branquinha e vira-lata que não aparava de pular, o nome dela ficou por Pipoca. Conheci também o Resmungão, um gato que a gente não podia entrar em casa que ele vinha reclamar de fome. Tenho uma amiga que a gata dela recebeu o nome de Morticia, por ser toda preta e lembrar as vestimentas da Familia Addams.

Essa é a Marry, gatinha da minha irmã.
No hospital que fiz meu estágio, tinha o Raul, o gato mascote. Minha amiga Debora tem a Lurdes Maria, uma linda que foi adotada. A Pri ja teve a Bebel e a Lola (#VoltaLola). Minha irmã adotou a Marry, uma lindinha que tem apenas 3 patinhas. Uma colega da minha sala, tem um persa, cinza manhoso e preguiçoso, o nome dele é Frederico

Se você tiver em duvida sobre o nome para colocar em seu animal de estimação, ou se pensa em ADOTAR (adotar é melhor que comprar, vão por mim), espero ter ajudado de alguma forma.



Essa é a minha Nael, linda, porém, mal humorada.

Se você leu esse texto até aqui e tiver em casa algum animalzinho, qual o nome dele(a) e por que escolheu esse nome? Compartilhe comigo.

Para finalizar: ADOTE, NÃO COMPRE. Existem milhares de animais incríveis esperando para serem adotados e te amar incondicionalmente. 

Ps.1: Não assisto 'O Profeta' hoje e não assisti na época.
Ps.2: Depois que recuperamos o Jorginho, ele ficou bonitão e minha cachorra, a Meg, o adotou. Eram melhores amigos, comiam, dormiam e brincavam juntos. Meses depois, roubaram ele da gente. A Meg teve gravidez psicológica e ficou depressiva por meses.
Ps.3: A Gi é uma pequena bomba ambulante, ela tem insuficiência renal crônica e já passou por diversas dificuldades nessa vida.
Ps.4: Mais uma vez, ADOTEM.

sábado, 9 de março de 2013

De volta à vida

Imagem by: Tumblr

Dias atrás escrevi contando sobre minha formatura, minhas expectativas e medos. Antes disso, escrevi sobre prioridades. Na época dos dois textos, eu tinha acabado de me inscrever para o processo seletivo de uma pós-graduação em pericia veterinária forense. Coloquei muita expectativa em cima disso, como sempre.

Dois dias depois da formatura, estava em Londrina e descobri que a pós não aconteceria, porque o numero de alunos inscritos não era suficiente para fechar uma turma. Tentei ser forte e encarar da melhor forma possível, coisa que também não aconteceu.

A semana seguinte, passei na casa da minha irmã. Entre uma crise existencial e outra, comecei a pensar em alternativas. Pesquisei varias instituições que ofereciam pós, listei algumas e estudei a possibilidade de encarar alguma delas.

Terça-feira da semana passada tomei a decisão, resolvi me inscrever na pós de clinica médica e cirúrgica de pequenos animais. Minha surpresa foi que ela começaria na sexta. Corri com a documentação, me inscrevi e fui para Curitiba, sozinho e sem saber o que me esperava.

A pós foi ótima, conheci pessoas novas, aprendi um turbilhão de coisas e aprendi a e me virar, sozinho, em Curitiba. Passei por altos e baixos, mas nada de medianos, porque medianos são ruins (rsrsrsrsrsrs).

Um dia a gente cresce, termina a faculdade e quando menos percebemos somos dependente unicamente de nós mesmo. É a vida.

Escrevi esse texto ao som dessa musica: =D

Ps1: Ainda estou desempregado.
Ps2: A prima, nunca encaro as coisas da melhor maneira possível, isso é um longo e lento processo para mim.
Ps3: Tenho uma cronologia só minha. Se um dia dura apenas 24 horas para você, para mim ele poderá durar 30, 25 ou 15. Depende muito do meu estado de espirito. Sou assim.