quinta-feira, 21 de março de 2013

Sobre a inspiração para escrever

Imagem via TUMBLR 
A gente vive uma desilusão amorosa ou um amor platônico e reclama. A gente consegue se livrar da desilusão e dar um fim ao romance platônico e a inspiração para escrever desaparece. 

Vida, vamos começar conciliar as coisas?

9 comentários:

  1. A pergunta que fica: Quem era seu amor platonico? hahaha

    ResponderExcluir
  2. Vinícius de Moraes tem um texto ótimo sobre a inspiração de escrever!! *-* (Todos ama VM)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou responder seus dois comentários aqui, ta? hahahahaha

      Quem sera: fica a duvida, mas isso ja faz um certo tempo, o mais recente foi a desilusão. hhahahahahahahah. Adorei o texto, valeu pela dica =D

      Excluir
  3. Olá Marcelo!! Como vai? :)

    Creio que os sentimentos intensos são sempre ótimo campo de inspiração, vejo pelos poetas famosos, sempre percebemos que uma emoção, nem sempre alegre, lhes deu material para escrever lindamente :)
    No meu caso é ao contrário, só consigo escrever quando estou em paz, quando estou em meio a sentimentos muito intensos ou complexos... adeus inspiração rsrsrs
    Esta danada é muito arredia, não é a toa que meu blog está quase 1 mês jogado as traças sem texto hehehe a vida podia mesmo conciliar melhor as coisas rsrsr
    Boa sorte aí! Seja com o amor ou com a inspiração ;)

    Grande abraço e bom fim de semana :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sammy, vou bem =D

      Consigo escrever melhor em meio a problemas sentimentais hahahahahah engraçado como isso varia de uma pessoa para outra, né? Eu reparei que você esta a um certo tempo sem postar mesmo, agora entendi o motivo. Boa sorte pra você também =D

      Beijo

      Excluir
  4. mas é sempre assim mesmo! UAHUAHUHAUHUAHUAH é que daí você tem do que reclamar KKKKKKKK
    mas olha, pense pelo lado bom, VOCÊ SUPEROU! hahaha
    o que né, venhamos e convenhamos, é a parte mais difícil, sendo ele platônico ou não! haha

    beajs.

    ResponderExcluir
  5. Hahaha! Não é?

    Olha, já não me lembro bem como vim parar aqui, tanta coisa que já li em seu blog! Estou pensando por onde começar (calma, é coisa boa que vem...). Primeiro de tudo: você também é do Paraná! Busquei na memória algum blogueiro paranaense e quer saber? Não achei. Li teu perfil atrás do nome da tua cidade, e também não encontrei, hahaha. Qual seria?

    Quanto a esse seu post em particular, fiquei pensando. Há alguns anos atrás eu seria partidária do bordão de que só se escreve quando há dor, mas acho que isso vem mudando, ao menos pra mim. Minha inspiração vem das bobeiras do dia a dia, tenham essas um grande peso ou não. Embora eu ainda ache que minha escrita em dias de deprê tenham muito mais significado... a verdade é que dei uma desanimada. Sabe quando a vida anda uma loucura, quase de cabeça pra baixo? Tá assim.

    Fico feliz pelo amor platônico superado, se é que assim podemos entender, e se é que foi isso que tu quis dizer.

    Vejamos o que mais te digo... ah, sim! Ri muito lendo sobre as músicas pra formatura. Pura verdade! Todas aquelas que tu botou na lista já deram o que tinha que dar... e ainda assim, não vejo elas desaparecendo tão cedo das famosas festas.

    E por enquanto é isso... que a sua inspiração volte logo (ou não... afinal, se a falta dela é sinônimo de que algo vai bem, tu pode esperar um pouco mais, não é?) ;)

    Abs!

    ResponderExcluir
  6. Admiro quem consegue ser tão intenso em todos os momentos da vida. Desde os mais triste aos mais felizes. Também sou assim, quando estou desesperada por um fim de relacionamento, ou seja lá o que aconteceu parece que bate aquela inspiração e escrever se torna bem mais fácil.

    Acho (não que eu lembre) que nunca visitei seu blog. Pretendo fazer isso mais vezes.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. É cara, não dá pra entender essas nuances. Ganhamos e perdemos. Perdemos e ganhamos. Quando há um não há outro. A inspiração meu caro é geniosa. rs

    Abração!!

    ResponderExcluir