quinta-feira, 11 de julho de 2013

Medida provisória e Tamiflu

Aqueles que ficam quase um mês sem escrever e voltam fingindo que nada aconteceu: sou desses. Mentira, né gente. É que minha unica opção é assistir 'A grande família' ou ficar no Facebook vendo a guerra de horrores que anda aquilo. Aí optei por vir tentar escrever algo.

Duas semanas atrás peguei uma gripe, e como desgraça pouca é besteira (oi Flavia), foi A PIOR GRIPE DA MINHA VIDA. Como bom teimoso, deixei de ir ao médico para ir PARA CURITIBA porque tinha pós. O módulo foi de odontologia, e serio: muito chato.

Voltei vegetando de Curitiba, na quarta-feira da semana passada fui ao médico e ele me colocou na medida provisória contra a gripe H1N1, toda essa frase bonita se resume em: tomar tamiflu. Minha mãe ficou horrorizada, mas calma mãe, foi só uma medidinha provisória. 

O tamiflu é o tipo de remédio que a gente não sabe o que prefere: ficar com a gripe ou suportar os efeitos colaterais. Da bastante náuseas, dor de cabeça e algumas pessoas vomitam (coisa que não me aconteceu). Depois das primeiras vezes que tomei, me deu náuseas, depois apenas dor de cabeça (aqueles que se conformam), sempre a tarde.

Passaram-se os 5 dias de tratamento, melhorei. Tomei 7 dias de antibiótico também. O que tiro de tudo isso é que qualquer tosse compensa ir ao médico, porque tudo isso a gente pode resumir em: evitar entrar na medida provisória e tomar tamiflu, nunca queiram. Fica a dica. 

(Aceite tomar se o médico prescrever, porque apesar dos efeitos, ele melhora os efeitos da gripe).

Até compensa, só que não.